St Marche relança marca própria com novo visual baseado no conceito Color Circle

St. Marche lança nova identidade visual para produtos de marca própria

Iniciativa tem como objetivo proporcionar uma jornada de compra mais intuitiva

A rede de supermercados St. Marche lançou uma nova identidade visual para as embalagens dos produtos de sua marca própria. A iniciativa tem como objetivo atender ao consumidor moderno, proporcionando uma jornada de compra mais intuitiva com a adoção de um conceito chamado “Color Circle” (Ciclo de Cores em português), que simboliza a constante atualização da marca no varejo.

O conceito Ciclo de Cores traz cores variadas, que se referem a cada categoria e estilo de produto, melhorando a visualização da embalagem e proporcionando mais conveniência durante a escolha do produto.

“O consumidor muda e nós também. Por meio de estudo internos, percebemos que os nossos clientes têm uma excelente percepção de sabor e qualidade de produtos que são de produção própria do St Marche, o que fortalece a fidelização e a recorrência de compra. Por isso, criamos uma identidade visual que traduzisse essa conexão nossa com o consumidor, e que deseja levar um pedaço do St Marche para a sua casa”, explica Bernardo Ouro Preto, CEO do St Marche.

Os clientes já podem encontrar os produtos com a nova identidade visual nas 31 lojas da rede. A linha conta com mais de 100 itens, como castanhas, sucos, tortas, saladas, embutidos, massas, entre outras categorias. A meta do St Marche é que, até o final de 2024, as vendas de produtos da marca própria aumentem em 50%.

“Com esse relançamento, nós reafirmamos o nosso compromisso de sempre buscar maneiras de superar as expectativas dos consumidores e de trazer para perto os melhores parceiros produtores e fornecedores. Queremos ter mais presença da marca St Marche em loja com diferentes produtos, alta qualidade e preços justos”, afirma Roberta Becker, diretora de Marketing da rede.

Supermercados com marca própria

A NielsenIQ, empresa que estuda os hábitos dos consumidores, constatou em pesquisa que os produtos exclusivos de supermercados já estão presentes em 34% das casas brasileiras.

O estudo também revelou que, nos primeiros quatro meses de 2022, os consumidores investiram 7,68% a mais em produtos de marca própria em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Confira a reportagem no Mercado & Consumo.

 

 
Participe da Private Label Brazil, o evento que é pioneiro no setor de Marcas Próprias e Terceirização
As dúvidas mais frequentes de quem deseja trabalhar com marca própria

As dúvidas mais frequentes de quem deseja trabalhar com marca própria

Já pensou em trabalhar com marca própria? O Shopify preparou uma lista com as perguntas mais frequentes sobre o tema; continue lendo para aprender mais sobre este modelo de negócio

Você não precisa produzir, criar e fabricar seus próprios produtos para fazer muito sucesso vendendo na internet. É muito comum que negócios de sucesso trabalhem com produtos fabricados por outras empresas.

Um dos modelos comuns é vender produtos de uma determinada marca própria, ou private label. Neste modelo, os varejistas trabalham com as fabricantes, que criam produtos únicos para suas marcas. Quando se trabalha com marca própria, o vendedor encontra um fabricante que produz os produtos com o rótulo, design e marca da loja acoplada.

O modelo de atividade é ótimo para marcas que já contam com seu público cativo e querem aumentar seu catálogo de ofertas. O desenvolvimento e venda destes produtos também é uma forma lucrativa de se conseguir renda passiva. Se interessou? Basta continuar lendo para saber mais.

O que é um produto de marca própria?

Um produto de marca própria, private label ou marca privada é vendido por uma loja de varejo e fabricado por um terceiro, que coloca a marca da loja no produto. Assim, varejistas terceirizam a produção, mas colaboram nas decisões de projeto, material e demais aspectos do artigo finalizado que será vendido para o consumidor.

Algumas das razões pelas quais as marcas optam por este modelo é aumentar o volume de vendas, cortar custos ou oferecer produtos que exigem técnicas especializadas de fabricação.

Isso é diferente do conceito de marca branca, onde os produtos são genéricos e produzidos em massa.

Ideias e fabricantes de marca própria

Ao escolher trabalhar com fabricantes de private label, você ganha acesso a milhões de artigos para venda. Mas, com tantas opções, encontrar o ramo ideal, além de um fabricante de confiança, pode ser um desafio. Antes de dar os primeiros passos, pense nas categorias mais populares de marca própria, com base no volume mensal de buscas:

  • Vestuário e acessórios
  • Cosméticos e produtos capilares
  • Alimentos e suplementos
Perguntas frequentes sobre marca própria
Quanto custa trabalhar com marca própria?

É necessário ter um investimento inicial. De modo geral, o mínimo ficaria em torno de R$ 5.000. As maiores despesas estão associadas às compras de amostras e estrutura logística, incluindo site, processamento de pagamento, fabricação e frete.

Como precificar produtos de marca própria?

É preciso considerar os custos de fabricação, frete e despesas associadas com marketing e vendas, como taxas de site, anúncios e taxas das processadoras de pagamentos. Após fazer este cálculo, compare o número com os valores praticados pela concorrência. É possível testar para descobrir o quanto o público está disposto a pagar, verificando que sua margem de lucro possa ficar no nível desejado.

Dá para ganhar dinheiro com marca própria?

Sim, muita gente ganha dinheiro na internet trabalhando com este modelo. Siga os passos detalhados no artigo e descubra como faturar com produtos private label.

Como começar a trabalhar com marca própria?

Primeiro, escolha o nicho no qual deseja atuar. Procure fabricantes de boa reputação e negocie a respeito de qualidade, volume e padrões. Colabore no design de produto e solicite amostras, verificando se atendem à qualidade desejada.
Organize o frete com a fabricante ou outra empresa, e crie um site usando uma ferramenta como a Shopify para montar sua loja on-line.

Um dos grandes desafios para novos empreendedores é o desenvolvimento de produtos. Esta dificuldade é eliminada quando se trabalha no modelo de private label, ou marca própria. Você escolhe um fabricante de confiança e foca na construção da sua marca e clientela fidelizada. 

Fonte: Shopify

 

 

Participe da Private Label Brazil, o evento que é pioneiro no setor de Marcas Próprias e Terceirização

Farmácia Artesanal investe em expansão com 18 inaugurações para 2024

Para 2026, a companhia estabeleceu uma meta de alcançar a marca de 200 unidades

Dando continuidade ao seu plano de expansão no segmento de franquias, o conglomerado de farmácia de manipulação, Grupo Farmácia Artesanal, planeja inaugurar 18 unidades neste ano e projeta um aumento de 25% em seu faturamento.

Para 2026, a companhia estabeleceu uma meta de alcançar a marca de 200 unidades. Atualmente, o grupo já possui mais de 115 lojas, entre próprias e franquias, espalhadas por 11 estados e o Distrito Federal.

Alberto Batittuccia, diretor de Franchising, acredita que um dos motivos para o crescimento é o modelo diferenciado do Grupo Farmácia Artesanal, que trabalha com cada cliente de forma personalizada, promovendo o contato contínuo com médicos prescritores, além de prestar suporte aos franqueados, tornando-os novos parceiros para a abertura de novas lojas.

“Um crescimento expressivo respaldado por um modelo de negócios sólido, que se destaca não apenas pela sua lucratividade, mas também pela sua capacidade de inovação e compromisso com a excelência”, destaca.

Nos últimos anos, a Farmácia Artesanal investiu nos modelos de franquias para expandir pelo país. No ano passado, foram inauguradas 16 lojas nesse modelo, nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Sudeste. Com 57 lojas franqueadas em operação atualmente, a marca faturou, em 2023, R$ 76,4 milhões. Cada unidade de loja apresenta uma média mensal de faturamento de R$ 148 mil.

Produtos de marca própria

A Farmácia Artesanal também conta com uma linha de produtos de marca própria. Com esse portfólio, a companhia conseguiu obter uma nova fonte de receita com a atração de um público fiel à rede de farmácia.

“Essa abordagem é especialmente relevante em cidades menores, onde a presença da Farmácia Artesanal tem um impacto significativo na qualidade de vida da população. Em muitos dos municípios onde atuamos, as pessoas procuram a farmácia para buscar informações gerais de saúde. Dessa forma, os serviços farmacêuticos ganham maior importância para o paciente e contribuem para fidelizá-los à marca”, explica Batittucci.

Mercado de franquias em expansão

De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o mercado de franquias no Brasil cresceu em 2023, com o faturamento atingindo R$ 240,661 bilhões, variação nominal de 13,8% em relação a 2022 e, portanto, acima das projeções que apontavam um crescimento entre 9,5% e 12%. Em relação a 2019 (pré-pandemia), o crescimento foi de 28,9%.

Confira a reportagem no Mercado & Consumo.

 

Participe da Private Label Brazil, o evento que é pioneiro no setor de Marcas Próprias e Terceirização

Para atender novas demandas do consumidor, indústria investe em produtos saudáveis

Saudabilidade foi um dos destaques da Apas Show 2024, realizada entre os dias 13 e 16 de maio

Com a mudança de hábitos alimentares que visam a uma melhor qualidade de vida e a demanda crescente por produtos mais saudáveis, a indústria de alimentos tem investido e lançado cada vez mais produtos para atender esse público.

E não é para menos: uma pesquisa realizada pela Ticket em 2023 revela que 73% dos entrevistados disseram estar muito mais atentos à sua saúde e aos seus hábitos alimentares, e 79% gostariam de ter acesso a opções mais saudáveis nos cardápios dos restaurantes.

Durante a Apas Show 2024, uma das principais feiras do setor supermercadista na América Latina, diversas empresas promoveram o termo “saudabilidade” em seus estandes e produtos. O evento foi realizado entre os dias 13 e 16 de maio, em São Paulo, e a MERCADO&CONSUMO listou algumas das marcas que promovem saudabilidade em seu portfólio:

PlantPlus Foods

Criada em 2020, a PlantPlus Foods é líder no segmento food service no Brasil e atende redes de fast food como Burger King e Outback, além de atuar em outros países da América Latina. Com operação no Brasil desde 2021, a marca vem ganhando cada vez mais mercado na categoria de análogos à carne.

Após o anúncio da sinergia entre PlantPlus Foods e BRF em 2023, a marca ampliou sua distribuição nas regiões sul e sudeste, incluindo varejo e food service, o que registrou um crescimento 10 vezes maior em distribuição, com receita crescendo acima da média na categoria de análogos à carne.

“A expectativa para 2024 é a consolidação das regiões sul e sudeste do país e expansão para região centro-oeste, já iniciada. Além disso, pretendemos dobrar nossa receita em relação ao ano passado e crescer em market-share”, conta George Bravo, diretor de vendas da PlantPlus Foods.

No decorrer de 2023, a PlantPlus Foods realizou experiências sensoriais em pontos de venda, promovendo degustações de produtos da marca em mais de 250 lojas. Atualmente as marcas contam com 13 produtos, entre vegetais e análogos à carne.

“Também temos o foco de continuar nossas ativações no varejo. Essa categoria pede ações de degustações para promover experiências sensoriais e acabar com o preconceito daqueles que não conhecem nossos produtos. Esse ano continuamos muito fortes no PDV, digital e inovações para expandir o portfólio. No segundo semestre, queremos sair do básico. Vemos que o flexitariano está crescendo e procura produtos análogos à carne. Obviamente não deixamos de falar com o vegetariano e o vegano, mas toda a nossa campanha é criada para todo mundo, não tem um nicho”, explica Vanessa Gardano, Consumer Marketing & Innovation Director da PlantPlus.

Vale Fértil

A Vale Fértil, empresa do setor de azeitonas, lançou a Olivito, uma azeitona desenvolvida para as crianças. O snack infantil é produzido sem salmoura, com menor teor de sódio e possui azeitonas com tamanhos menores e sem caroço.

Já o Oliv Snack Natural é projetado para ser um repositor energético durante atividades esportivas. Sua composição rica em fibras proporciona apenas 73 kcal por porção, enquanto sua praticidade e saudabilidade são garantidas pela ausência de salmoura, caroço e conservantes.

O produto é elaborado de forma natural e passa por um processo de pré-lavagem para reduzir o teor de sódio, e é conservado apenas com azeite de oliva.

O gerente nacional de vendas do grupo, Martin Nucete Hernando, destaca que os novos lançamentos têm como foco promover a saudabilidade e alcançar novos segmentos de consumidores para a marca.

“Estamos sempre em busca de inovações que acompanhem as necessidades das famílias em todos os momentos. Identificamos, no entanto, a necessidade de atender a demanda de dois importantes públicos: as crianças e os atletas. Com o lançamento do Olivito e do Oliv, estamos preenchendo essas lacunas e complementando nosso portfólio”, ressalta.

Confira a reportagem completa no Mercado & Consumo

 

Participe da Private Label Brazil, o evento que é pioneiro no setor de Marcas Próprias e Terceirização

Como escolher o fabricante de produtos de skincare para a sua marca própria

Como escolher o fabricante de produtos de skincare para a sua marca própria

Seja lançando uma nova linha de produtos de beleza natural ou expandindo sua oferta existente, a parceria com o fabricante certo pode fazer toda a diferença

Os produtos de cuidados com a pele de marca própria estão conquistando a indústria da beleza. À medida que mais consumidores buscam produtos naturais, orgânicos e personalizados, os produtos de skincare de marca própria se tornaram uma escolha popular tanto para fabricantes quanto para vendedores. E se você está pensando em iniciar um negócio de dropshipping de skincare, encontrar o melhor fabricante de produtos de beleza para a sua marca própria é fundamental.

Seja lançando uma nova linha de produtos de beleza natural ou expandindo sua oferta existente, a parceria com o fabricante certo pode fazer toda a diferença. Este artigo (publicado originalmente no portal TNT Magazine) oferece um guia para ajudá-lo a navegar pelo processo de seleção e escolher um parceiro que esteja alinhado com os valores e objetivos da sua marca.

Reputação e experiência

Quando se trata de selecionar o melhor fabricante de skincare com marca própria para o seu negócio, a primeira coisa que você deve considerar é a reputação e experiência deles na indústria. Com a crescente popularidade das marcas de skincare naturais, você precisa garantir que escolha um fabricante que melhor se adapte aos valores da sua marca.

Procure por fabricantes com um histórico sólido de produção de produtos de skincare de alta qualidade para outras marcas de renome. Quanto mais experiente o fabricante, mais provável é que tenham a expertise e as capacidades para fornecer resultados excepcionais.

Compromisso com a qualidade

O compromisso com a qualidade é outro fator essencial a ser considerado ao decidir com qual fabricante de skincare com marca própria se associar. Procure por certificações e credenciamentos que comprovem sua adesão aos padrões e regulamentações da indústria.

Certifique-se de que o fabricante garanta o controle de qualidade e utilize as melhores práticas em seu processo de produção. Isso pode incluir a obtenção de ingredientes premium, a realização de testes rigorosos, bem como a implementação de medidas de garantia de qualidade para fornecer a você e aos seus clientes os melhores produtos.

É importante observar que, embora o controle de qualidade e os serviços excelentes sejam fáceis de detectar no início, você também deseja buscar consistência. Idealmente, o fabricante de cuidados com a pele de marca própria escolhido fornece produtos e serviços de alta qualidade sempre.

Instalações de fabricação

Se possível, examine as instalações do fabricante e os equipamentos que eles possuem. Eles estão equipados com a tecnologia mais recente e as ferramentas necessárias para produzir produtos de skincare de qualidade? Uma empresa com instalações limpas e tecnologicamente avançadas é mais propensa a fornecer produtos inovadores e de alta qualidade.

As condições das instalações, elas garantem práticas de produção e ambiente de trabalho socialmente responsáveis? Normalmente, se uma empresa segue padrões ambientais e éticos rigorosos, você pode ter certeza de que os trabalhadores também serão tratados de forma justa.

Além disso, se você planeja oferecer produtos orgânicos e naturais para a pele, escolha um fabricante com opções de embalagens ecológicas para a pele . Isso solidificará o compromisso da sua marca com práticas sustentáveis.

Comunicação eficaz

A comunicação é fundamental em qualquer tipo de relacionamento. Quando se trata de relacionamentos comerciais, comunicação e colaboração eficazes são fundamentais. Portanto, certifique-se de que o fabricante de cuidados com a pele escolhido possui uma equipe de suporte ao cliente ágil e confiável.

Tente consultá-los primeiro para saber mais sobre quaisquer atualizações de produção em andamento. Isso também o ajudará a ver se a comunicação é clara e transparente e se a sua visão é compreendida e executada com precisão. Nem é preciso dizer que um fabricante que valoriza a comunicação aberta e mantém uma abordagem ágil seria um excelente parceiro.

Gama de serviços

Um bom fabricante de cuidados com a pele de marca própria deve ser capaz de fornecer suporte, desde formulações de produtos e designs de embalagens até a fabricação e distribuição. Certifique-se de determinar a gama de serviços para saber se a empresa potencial pode atender às necessidades da sua marca. 

A variedade de serviços também mostra a expertise da empresa. E você quer ter certeza de colocar sua visão de cuidados com a pele nas mãos de profissionais experientes.

Concluindo, selecionar o fabricante de produtos para a pele de marca própria certo não é uma decisão fácil, mas definitivamente uma decisão crítica, que pode fazer ou quebrar seu novo negócio.

Ao considerar fatores como reputação, compromisso com a qualidade, instalações de fabricação, comunicação e gama de serviços, você pode escolher com segurança o parceiro mais adequado para o seu negócio. Com o fabricante certo ao seu lado, você pode criar uma linha de cuidados com a pele que ressoe com os consumidores e coloque sua marca entre as melhores marcas de cuidados naturais para a pele do setor.

Confira a reportagem completa no portal TNT Magazine

 

 

Participe da Private Label Brazil, o evento que é pioneiro no setor de Marcas Próprias e Terceirização

 

Petz e Cobasi vão criar maior rede de varejo pet do país

Novo grupo vai somar 483 lojas no país em cerca de 20 estados, sendo 249 unidades da Petz e 234 da Cobasi

(G1) – As redes de lojas de produtos e serviços para animais de estimação Petz e Cobasi acertaram um memorando de entendimento não vinculante para criarem a maior companhia no setor do país.

O anúncio causou uma disparada de 37,14% nas ações da Petz, que chegaram a R$ 4,80 no fechamento do pregão na sexta-feira (19).

As duas empresas lideram o setor e o grupo combinado deve produzir uma receita este ano de mais de R$ 7,5 bilhões, afirmou o presidente-executivo da Petz, Sergio Zimerman, em conferência com analistas e investidores após o anúncio.

Analistas do JPMorgan liderados por Joseph Giordano afirmaram que o negócio “tem alto potencial de sinergia mesmo no contexto de riscos de execução e outros desafios vistos em outras fusões no setor”, acrescentando que a companhia combinada deverá ter uma participação de mercado de entre 15% e 20%.

O outro grande grupo no setor é a Petlove, que tem uma grande atuação no mercado online nacional e chegou a ser citada na imprensa no mês passado de que estaria em negociações com a Petz, além dos próprios marketplaces digitais como Mercado Livre.

Questionado sobre as potenciais sinergias a serem obtidas com a integração com a Cobasi — a empresa que criou o conceito de megalojas de produtos para animais de estimação no país na década de 1980 — Zimerman afirmou que elas serão dimensionadas nos próximos dias durante as discussões exclusivas entre as duas empresas, que devem durar até 90 dias.

Mas ele afirmou que “tem muito mato alto para ser cortado”. O executivo se referiu principalmente a ganhos de logística e com abertura de lojas.

“É uma guerra que sangra ambas as companhias”, afirmou o executivo sobre a situação anterior à combinação e citando que o preço de R$ 7,10 “tem zero efeito de sinergia”.

O novo grupo vai somar 483 lojas no país em cerca de 20 estados, sendo 249 unidades da Petz e 234 da Cobasi.

O mercado pet nacional envolve mais de 139 milhões de animais de estimação, sendo o segundo maior do mundo, afirmou Gustavo Cruz, estrategista-chefe da RB Investimentos, em nota. Segundo Cruz, a cada 100 famílias, 44 possuem um animal de estimação, enquanto apenas 36 têm crianças em casa.

“Os setores relacionados aos animais de estimação são uma tendência significativa a longo prazo. Enquanto muitos discutem o envelhecimento da população como um fator impulsionador do setor da saúde, o setor pet também se destaca, pois as pessoas percebem que criar um filho se tornou mais dispendioso e optam por ter animais de estimação”, afirmou Cruz.

Cade

A nova empresa será igualmente dividida entre os acionistas da Petz e da Cobasi, com os investidores da Petz recebendo R$ 450 milhões após a conclusão da operação, segundo os termos do memorando de entendimento.

Zimerman não deu detalhes sobre como será feito esse pagamento, embora dividendos possam ser uma das opções.

Ao final da transação, Zimerman terá entre cerca de 15% e 25% da companhia combinada. Um acordo de acionistas entre o executivo e, do lado da Cobasi, família Nassar e o fundo Kinea será estabelecido com Zimerman na presidência do conselho de administração da nova empresa e Paulo Nassar sendo presidente-executivo.

O conselho de administração da nova companhia terá nove membros com quatro sendo indicados por Zimerman e o restante por Nassar e Kinea. A nova empresa seguirá as regras do segmento de alta governança da B3, Novo Mercado.

Questionado sobre o futuro das marcas do grupo, Zimerman afirmou que as empresas deverão manter as atuais, seguindo um modelo semelhante ao da fusão das redes de farmácias Raia e Drogasil em 2018, que deu origem ao grupo RD Saúde.

O executivo afirmou ainda que não espera grandes problemas por conta da análise do negócio que deverá ser feita pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Falando sobre eventuais aplicações de restrições pelo órgão de defesa da concorrência, Zimerman, disse que isso pode ocorrer eventualmente “em alguma cidade específica em que possa ter uma concentração, mas nada que deveria preocupar os rumos do negócio”.

“O nível de concentração é baixo o suficiente para que tenhamos tranquilidade para falar isso”, acrescentou.

Confira a reportagem no portal G1.

 

Participe da Private Label Brazil, o evento que é pioneiro no setor de Marcas Próprias e Terceirização

Quais são os 15 maiores supermercados no Brasil e quanto eles faturam? Veja a lista

Quais são os 15 maiores supermercados no Brasil e quanto eles faturam? Veja a lista

Os 15 maiores supermercados do país tiveram receitas somadas de 348,5 bilhões de reais

Faturamentos bilionários estampam a lista dos maiores supermercados do Brasil. Os números estão no ranking anual divulgado nesta terça-feira, 9, pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

A liderança, pelo oitavo ano consecutivo, é do Grupo Carrefour. Sozinho, a marca cravou uma receita de 115 bilhões de reais no Brasil em 2023. A companhia ganhou ainda mais força nos últimos anos com a aquisição do Grupo Big, e manteve a primeira posição disparada mesmo com alguns fechamentos de unidades no último ano.

No segundo lugar, a Assaí Atacadista ficou com 72,7 bilhões de reais, sendo seguido pelo Grupo Mateus, tendo apurado no período R$ 30,2 bilhões de reais. O Mateus é a maior rede varejista das regiões Norte e Nordeste do país, e está presente nos estados do Maranhão, Pará, Piauí, Tocantins, Ceará, Pernambuco, Bahia, Sergipe, Alagoas e Paraíba.

Quais são os 15 maiores supermercados do Brasil em 2023
  1. Carrefour (SP): faturamento de 115,4 bilhões de reais
  2. Assaí Atacadista (SP): faturamento de 72,7 bilhões de reais
  3. Mateus Supermercados (MA): faturamento de 30,2 bilhões de reais
  4. Grupo Pão de Açúcar (SP): faturamento de 20,6 bilhões de reais
  5. Supermercados BH (MG): faturamento de 17,3 bilhões de reais
  6. Irmãos Muffato (PR): faturamento de 15,6 bilhões de reais
  7. Grupo Pereira (SP/SC): faturamento de 13,1 bilhões de reais
  8. Cencosud (SP): faturamento de 11,1 bilhões de reais
  9. Mart Minas (MG): faturamento de 9,4 bilhões de reais
  10. Koch Supermercados (SC): faturamento de 7,9 bilhões de reais
  11. DMA Distribuidora (MG): faturamento de 7,9 bilhões de reais
  12. Companhia Zaffari (RS): faturamento de 7,6 bilhões de reais
  13. Tenda Atacado (SP): faturamento de 6,9 bilhões de reais
  14. Grupo JC / Costa Atacadão (DF): faturamento de 6,8 bilhões de reais
  15. Savegnago (SP): faturamento de 6 bilhões de reais

Confira a reportagem no portal Exame.

 

Participe da Private Label Brazil, o evento que é pioneiro no setor de Marcas Próprias e Terceirização

Oito razões que explicam o crescimento das marcas próprias no varejo

Oito razões que explicam o crescimento das marcas próprias no varejo

*Marcos Gouvêa de Souza – É importante lembrar que sempre que se escreve sobre marcas próprias existe a tendência de particularizar a discussão sobre o quanto elas representam no setor de supermercados, onde o número médio geral gira em torno de 7% das vendas totais. E como sempre médias podem deformar a correta interpretação e tendência da realidade.

Em recente matéria o CEO do Carrefour no Brasil, Stephane Maquaire, pontuou que 21% das vendas do setor alimentar da empresa no país foram de marcas próprias, lembrando que na França esse percentual é de 35%.

No setor de alimentação no Brasil o crescimento da participação das marcas próprias no atacarejo, ou atacado de autosserviço, é um fator que reduz a média nacional. Porém, é questão de tempo, pouco tempo, para que essas redes ampliem seus negócios nessa frente.

Devem se inspirar em parte no que acontece no Costco, líder mundial no formato Wharehouse Clubs, que é um dos benchmarks do formato no Brasil e onde sua marca própria Kirkland representa mais de 30% das vendas totais nas mais diversas categorias.

Se ampliarmos a visão setorial e incorporarmos vestuário, moda e confecções nos três maiores players do mercado, Renner, Riachuelo e C&A, as marcas próprias representam entre 80 e 90% de suas vendas e foi fator decisivo no reposicionamento dos negócios dessas empresas no país.

Isso para não falarmos em Zara e todos os negócios do grupo Inditex, onde as marcas próprias, essência do modelo de negócio, representam 100% das vendas. Ou no setor de artigos esportivos onde a francesa Decathlon tem sua estratégia apoiada nas marcas próprias, nas mais diversas categorias de produtos, complementada com algumas poucas marcas nacionais e internacionais.

Mas está crescendo o número de empresas de varejo que passaram a tratar o tema de maneira mais estratégica e ampliando os segmentos e categorias envolvidos.

A RD Raia Drogasil e várias outras redes do setor de farmácias e drogarias estão ampliando categorias com marcas próprias e significativamente a participação nas suas vendas, em especial nas categorias que envolvem cuidados pessoais.

Varejo e serviços surpreendem em janeiro. O que esperar para 2024?

Também na Leroy Merlin, Telhanorte e outras redes no setor de material de construção. Tanto quanto Cobasi, pioneira no segmento pet, e também na Petz e Pet Love, líderes de mercado no setor.
Da mesma forma que na Kalunga no setor de artigos para escritório.

Outro fator que conspira positivamente para esse crescimento é o benchmarking global, em especial no setor de alimentação nos países da Europa e América do Norte, onde a participação das marcas próprias é significativamente maior, sendo da ordem de 30% a 40% nos supermercados europeus e em torno de 20% nos Estados Unidos. Em alguns casos como Tesco, na Inglaterra, para determinadas categorias existem até cinco marcas próprias do varejo junto com as marcas nacionais.

São 8 as razões fundamentais que determinam o crescimento irreversível do aumento da participação das marcas próprias de varejo no Brasil nos próximos anos:

1. Aumento da competitividade geral e busca de melhor rentabilidade no varejo em praticamente todos os segmentos, categorias, canais e modelos de negócio;

2. Aumento da participação do atacarejo, ou atacado de autosserviço, nas vendas do setor de alimentação como um todo e desenvolvimento das marcas próprias nesse formato;

3. Aumento no nível de consolidação de mercado nos diversos segmentos e com os líderes desses negócios investindo mais no desenvolvimento, gestão e participação das marcas próprias;

4. Aumento do número de redes de negócios sendo formadas em segmentos como supermercados, material de construção, farmácias e outros por integração de redes regionais e que desenvolverão marcas próprias em conjunto para se tornarem mais competitivas;

5. Aumento e profissionalização da oferta de produtos pela indústria focada no atendimento da demanda por marcas próprias pelo varejo;

6. Amadurecimento e ampliação das alternativas na importação de produtos com marcas próprias a partir de fornecedores internacionais;

7. Aumento da familiaridade e fidelidade dos consumidores com a oferta das marcas próprias pelo varejo nos diversos segmentos;

8. Aumento no foco por valor dos consumidores pressionados por questões econômicas e com mais e maiores opções para análise e comparação de preços e outros atributos na hora de escolher.

Esse crescimento deve se acelerar no Brasil nos próximos dez anos e não é difícil estimar que nesse período possa dobrar os atuais patamares médios de participação nas vendas do varejo como um todo na combinação ponderada das diversas categorias.

Vale refletir. E agir.

*Marcos Gouvêa de Souza é fundador e diretor-geral da Gouvêa Ecosystem e publisher da plataforma Mercado&Consumo.

Confira o artigo no portal Mercado & Consumo.

 

 

Participe da Private Label Brazil, o evento que é pioneiro no setor de Marcas Próprias e Terceirização 
Conheça o plano da Raia Drogasil para crescer com hubs de saúde

Conheça o plano da Raia Drogasil para crescer com hubs de saúde

RD Saúde, nova marca corporativa do grupo, vai focar no aumento do atendimento primário de saúde nas farmácias e no campo Digital, o que pode ajudar a desafogar unidades de pronto socorro

Com mais de 3 mil farmácias no Brasil, o grupo RD Saúde — operador das redes Raia e Drogasil — aposta em uma nova frente para crescimento dos negócios, a saúde primária do cliente, transformando as farmácias tradicionais em hubs de saúde, integrando as vendas de produtos e medicamentos ao atendimento básico, experiência digital, marcas próprias e assim ampliar a oferta de produtos e serviços. A nova estratégia do grupo está dividida em duas grandes frentes, Nova Farmácia e Plataforma de Saúde.

A mudança no nome da marca (antes apenas RD) visa destacar o enfoque do grupo em saúde como um todo, afirmou à DINHEIRO o CEO da RD Saúde, Marcilio Pousada. Isso acontece em um momento em que todo o setor aposta na ampliação dos serviços de saúde dentro das farmácias, uma prática que não é nova, mas como se fosse uma volta ao passado, quando os farmacêuticos faziam o primeiro atendimento. “O farmacêutico é um profissional de saúde altamente preparado e treinado para cuidar desses casos”, afirmou.

Os serviços de atenção básica nas farmácias, segundo Pousada, têm potencial para reduzir em até 80% os atendimentos nos prontos socorros das redes pública e privada. Um número que impressiona, ainda mais quando pensamos nas unidades sobrecarregadas em épocas de gripe, por exemplo.

Somente em 2023, as farmácias do grupo realizaram mais de 3,5 milhões de atendimentos de atenção primária. O executivo explicou que a estratégia para este atendimento de entrada está baseado em quatro pilares:

  • Promoção de Saúde,
  •  Proteção,
  • Prevenção,
  • Primeiro Ate­ndimento.

No primeiro, oferecem exames como bioimpedância; em Proteção, aplicando vacinas; no pilar Prevenção, avisam aos clientes sobre tratamentos e compra de remédios; e por fim, no primeiro atendimento, onde se pode fazer testes de doenças, medir a pressão arterial e etc.

O CEO contou que em 2023 o grupo deu passos relevantes na construção dos hubs de saúde, e para 2024 a projeção é seguir avançando na prestação de serviços farmacêuticos e também em imunização, onde já são relevantes na vacinação contra Herpes Zoster e Dengue.

Estes serviços são dos mais promissores vínculos de engajamento com os clientes, apoiando-os na jornada de saúde e contribuindo de forma relevante para o aumento do seu Lifetime Value (LTV) — ou seja, o valor que o cliente pode gastar em sua empresa ao longo da vida.

Conheça o plano da Raia Drogasil para crescer com hubs de saúde

“Pretendemos entrar em contato com os planos de saúde. Fazemos um atendimento básico e eles repassam um valor por vida. Assim o paciente não pagaria nada na farmácia”, diz Marcilio Pousada, CEO da RD saúde.

Com a Plataforma de Saúde, a ideia é ampliar o escopo, desenvolvendo soluções para apoiar a jornada dos clientes, como na adesão a tratamentos, promoção de hábitos saudáveis, bem como no acesso a um marketplace de serviços que inclui exames laboratoriais e tele consultas.

A plataforma digital integrada deverá oferecer em breve um teleatendimento virtual por meio dos farmacêuticos, que poderão fazer uma espécie de triagem e indicando o caminho a ser tomado pelo paciente.

Pousada afirmou ainda que a rede faz muitos atendimentos primários nas áreas mais nobres das cidades, onde um cidadão que quer fazer um teste de doença ou uma solução rápida, prefere pagar pelo serviço individual a ter que dar entrada em um pronto-socorro, mesmo que privado.

“Pretendemos entrar em contato com os planos de saúde para que possamos aprimorar essa relação, nós fazemos um atendimento básico e eles nos repassariam um valor por vida, assim o paciente não pagaria nada na farmácia e ajudaria a desafogar os hospitais da rede”, afirmou.

Além disso, o grupo investiu em startups através da RD Ventures, que atuam em promoção da saúde (Vitat e Healthbit), acesso e adesão ao tratamento (Manipulaê, Cuco e Safepill) e consultas e exames (Amplimed e Labi). Em 2024, o grupo quer avançar na integração dos ativos na área, incluindo os hubs de saúde e o programa próprio de benefícios em medicamentos, para criar um ecossistema integrado de saúde, focado tanto em consumidores quanto em empresas e operadoras de saúde.

Para Pousada, esses diferentes negócios e canais, sejam físicos ou digitais, se complementam e se reforçam, começando com a conquista do cliente e com a sua digitalização, que ocorrem geralmente nas lojas, com baixo custo marginal de aquisição (CAC), e culminando no aumento da frequência e do gasto, frutos da fidelização gerada por meio da digitalização do relacionamento, da intensificação dos vínculos de engajamento e da ampliação da gama de produtos e serviços oferecidos tanto nas lojas, quanto nas plataformas digitais.

Em números
  • Em 8 de março, a RD Saúde inaugurou a unidade de Itapipoca (CE), que foi a loja número 3 mil do grupo, que tem também 14 centros de distribuição, 57 mil funcionários e atende aproximadamente 1 milhão de clientes por dia.
  • Em 2023 foram 270 novas lojas e 14 fechamentos.
  • No ano passado, o faturamento totalizou R$ 36,3 bilhões, com alta de 17,4% ante 2022 – sendo um avanço de 8% nas lojas maduras.
  • A participação de mercado saltou 0,9 ponto percentual em 2023, para 16,1% em todo o País.
  • O valor de mercado da companhia, em 27 de março, estava em R$ 47 bilhões.

Para 2024, o grupo Raia e Drogasil quer manter o crescimento acelerado, com ganhos relevantes de market share com abertura de 280 a 300 novas farmácias no ano – que representará um aumento de base em torno de 10%, com taxa interna de retorno (TIR) real esperada na casa de 25%, já descontada a canibalização.

Além disso, contam com a maturação do portfólio atual de farmácias e também o crescimento sustentado nas lojas maduras em patamares acima da inflação.

No que diz respeito aos serviços, na Nova Farmácia, a RD Saúde já ampliou a oferta de serviços farmacêuticos para 1.900 unidades, sendo 304 delas autorizadas a aplicar vacinas. Com esse número, o grupo realizou mais de 3,5 milhões de serviços de saúde, e aplicou 160 mil doses de vacinas no ano passado.

On-line
  • Desde 2019, a penetração dos canais digitais da Raia e Drogasil foi de 1,5% da receita para 16,7% ao final de 2023, atingindo R$ 5,1 bilhões no ano, um crescimento anual de 57,5%.
  • A inclusão de clientes digitalizados nas vendas totais, tanto os físicos como digitais, já se aproxima de 20%.
  • A base de clientes ativos do grupo finalizou 2023 em 47,6 milhões, dos quais 6,4 milhões são clientes assíduos, com frequência média de 24 compras por ano.
  • Desses, 1,8 milhão, ou 28% dessa base, já utiliza os canais digitais e sua frequência alcança 30 transações por ano.

O Stix, programa de fidelidade criado pela RD Saúde em sociedade com o Grupo Pão de Açúcar encerrou 2023 com 4,8 milhões de clientes ativos, dos quais 2,7 milhões que resgataram R$ 200 milhões em pontos no ano. Em 2023, menos de 3% de pontos Stix expiraram e 55% dos pontos gerados no programa foram resgatados na RD.

Confira a reportagem na Isto É Dinheiro.

 

Participe da Private Label Brazil, o evento que é pioneiro no setor de Marcas Próprias e Terceirização
Marca própria do Roldão Atacadista projeta alcançar 9% das vendas até 2025

Marca própria do Roldão Atacadista projeta alcançar 9% das vendas até 2025

‘Preciato’ já conta com 200 produtos em seu portfólio; rede quer lançar outros 200 até o final do ano

Em apenas seis meses do lançamento, a marca própria ‘Preciato’ do Roldão Atacadista já oferece mais de 200 produtos em seu portfólio, com a meta de lançar outros 200 até o final do ano.

A gerente de Marcas Exclusivas do Roldão Atacadista, Juliana Ferraz, ressalta que a combinação entre o formato atacarejo e as marcas próprias é fundamental para a Preciato.

“Tanto o atacarejo quanto as marcas próprias atendem ao que o cliente busca em suas compras: uma escolha inteligente”, destaca Ferraz.

A Preciato oferece itens de mercearia, produtos de limpeza, alimentos perecíveis, entre outros. A marca também direciona produtos a clientes comerciais, como donos de pequenos negócios, restaurantes e revendedores, com packs diferenciados e produtos em maior volumetria para atender às necessidades específicas desse público.

Com projeções indicando que a participação dos produtos Preciato nas vendas da rede pode chegar a 9% até o final de 2025, o Roldão Atacadista estabelece uma meta da marca e ao compromisso da empresa em promovê-la em suas lojas 40 lojas no Estado de São Paulo.

Confira a reportagem no Super Varejo.