Pão de Açúcar irá vender refeições prontas da Cheftime por delivery

O projeto chamado Restaurante Cheftime está disponível em grande parte da cidade de São Paulo, com marmitas, pizzas e hambúrgueres, entre outros

Preparação de alimentos da startup Cheftime

(Cheftime/Divulgação)

Mais do que entregar ingredientes, o Pão de Açúcar está se adaptando para entregar refeições prontas durante a pandemia do novo coronavírus. A iniciativa será liderada pela sua startup gastronômica Cheftime e pela startup de entrega James Delivery e já estava nos planos da varejista, mas foi antecipada por causa das medidas de isolamento social.

Por enquanto, o projeto chamado Restaurante Cheftime está disponível em grande parte da cidade de São Paulo e prevê chegar ao Grande ABC e a Alphaville e Barueri ainda em abril.

Há opções como marmitas, pizzas, hambúrgueres itens da cozinha oriental e alimentos saudáveis, bem como bebidas e sucos. Uma marmita de estrogonofe de frango, por exemplo, pode ser adquirida por R$ 19,90, enquanto um combo de hambúrguer de pernil, porção de batatas fritas e suco natural de laranja custa R$ 29,90. O valor do frete é calculado na hora de acordo com a região da entrega.

Em 2019, o Grupo Pão de Açúcar, que também engloba as marcas Extra e Assaí, faturou 61,5 bilhões de reais, alta de quase 15% em relação ao ano anterior. A Cheftime vendeu 200 mil refeições e seus kits e alimentos estão presentes em 200 lojas físicas, além do e-commerce da varejista. Já a James Delivery está presente em 19 cidades e viu as vendas crescerem 446% no ano passado, com aumento de 15 vezes no número de pedidos em relação ao início do ano.

10 vezes maior

A Cheftime, criada em 2014 por Daniella Mello, começou entregando kits para o preparo de alimentos em casa. Os ingredientes já eram porcionados na quantidade correta para a receita, a partir de uma central de produção. Em 2018, a startup começou uma parceria com o Grupo Pão de Açúcar e, um ano depois, foi adquirida pela varejista.

Desde então, expandiu seu escopo e passou a atuar também dentro dos mercados Pão de Açúcar, com opções para comer nos cafés ou alimentos prontos para levar para casa.

Apenas no ano passado, a produção da Cheftime aumentou em 10 vezes – a empresa não abre o crescimento em termos de receita.

“Entendemos que essa marca poderia fazer muito mais como uma empresa de gastronomia, para acelerar o negócio de rotisserie e alimentação dentro dos supermercados“, disse Mello em entrevista exclusiva à EXAME.

Com as medidas de quarentena, os supermercados precisaram fechar o espaço de suas lanchonetes, um dos focos da Cheftime – ainda é possível pedir alimentos para levar, mas o consumidor não pode se sentar ou permanecer no local. Com o lançamento da opção de entrega de refeições prontas, a integração entre a startup e as estruturas nos mercados do Pão de Açúcar ficará ainda maior.

Cada alimento tem sua própria estratégia de produção. Alguns alimentos são preparados em dark kitchens, locais dentro de unidades do supermercado Pão de Açúcar específicos para a produção de alimentos para delivery. Pizzas, esfihas e paninis, por exemplo, usam a estrutura de forneira das lojas, assim como os hambúrgueres. Outros alimentos são preparados na central de produção.

Com o novo projeto de entrega de refeições, o objetivo é deixar os supermercados com mais cara de restaurantes. “Supermercados já são o foco da alimentação em todo o mundo. Agora queremos deixar o restaurante mais digital”, afirma a empreendedora.

Fonte: Exame

Leave a Comment