Marca própria: um mercado em desenvolvimento

por Redação Private Label
0 comentário

Indústria goiana GSA desenvolve produtos com marcas personalizadas

Comprar alimentos com preço acessível e com qualidade igual, ou até mesmo superior às marcas tradicionais, é uma necessidade do consumidor que busca garantir o equilíbrio no orçamento. Neste cenário, de consumo mais seletivo, quem ganha espaço é a Marca Própria (MP) e a terceirização.

Segundo o estudo Estilos de Vida 2019 da Nielsen apenas 5% dos consumidores são fieis a marcas e produtos. E 64% optam por marcas devido ao baixo preço oferecido, mas estão dispostos a pagar mais por aqueles produtos que apresentam valor agregado. Além disso, 71% demonstram confiança em produtos de Marca Própria. Já na Europa a quota de mercado da marca própria está acima dos 30%. O dado é do International Private Label Yearbook. No Reino Unido e na Alemanha, por exemplo, a venda de marcas próprias é acima dos 40%.

No Brasil, este nicho de mercado ainda tem muito a crescer. Por isso, a indústria goiana, GSA Alimentos, entrou neste negócio em 2012, e se solidificou em 2015. Atualmente conta com uma carta de 36 clientes, alguns com atuação regional, como rede de supermercados, mas também com desempenho no mercado nacional, como outras indústrias de alimentos. Em destaque o varejo alimentar o Carrefour, Makro, ambas com atuação nacional  e a Cencosud – na bandeira Bretas, nos estados de Goiás e Minas Gerais- além das indústrias  Caramuru Alimentos e a Anchieta.

A empresa tem uma área dedicada ao desenvolvimento de produtos e até mesmo de campanhas de trade e de marketing para atender os clientes que buscam aumentar o portfolio, ganhar produtividade e aumentar as vendas. “Oferecemos toda sua estrutura e know-how para a criação de produtos com marcas personalizadas e de acordo com a necessidade de cada cliente. Trabalhamos com ações para ficarmos mais próximos dos nossos clientes, oferecendo conhecimento para ele entrar no mercado com mais agressividade e melhor desempenho”, explica o gerente de marcas próprias das GSA, Kauê Borges.

Desenvolvimento

A empresa produz para outras indústrias e supermercados produtos já existentes no mercado, mas também elabora alimentos exclusivos, seguindo a solicitação de cada cliente. Para isso, a área de Produto e Desenvolvimento (P&D) da GSA conta com 23 experientes profissionais.

A gerente de P&D, Renata Melo, explica que o objetivo é atender todas as necessidades almejadas pelo cliente. “Envolvemos uma cadeia de profissionais para levar a excelência aos nossos clientes e entregar um artigo pronto para o mercado”, pontua. Por isso, a GSA oferece ao cliente um produto com embasamento legal, fórmula exclusiva e embalagem correta.

Na indústria goiana é realizado o estudo da legislação para cada novo alimento solicitado, portanto, a formulação segue essas orientações. Também é analisada a validade (shelf life) da fórmula e, consequentemente, é feita a apreciação da melhor embalagem para esse acondicionado, que seja segura, evitando luz e umidade. Além disso, também é considerado que o consumidor almeja alimentos com rótulos mais limpos. A personalização dos produtos é uma característica da GSA.

Produção

Hoje, a indústria goiana possui 22 linhas de produção em um parque industrial de mais de 15 mil metros quadrados. Um destaque é a capacidade produtiva de macarrão instantâneo, são 25 milhões de pacotes de macarrão por mês.

A capacidade produtiva do tempero em pó também merece atenção. Em 2018, a capacidade mensal era de 16 milhões de pacotes, após investimentos atualmente é de 34 milhões por mês.

Segundo o gerente industrial, Yuri Faria, além desta capacidade de produção, a empresa ainda se adapta as inovações. Uma delas é a linha de salgadinhos de milho extrusados e o uso de embalagens pouch para a mistura de bolo.

Produtos

Atualmente a indústria goiana desenvolve macarrão instantâneo, tempero em pó, condimentos, refresco 1, 2 e 10 litros, mistura para bolo, tempero em pasta e salgadinhos extrusados. Os principais produtos de marca própria são o macarrão instantâneo, o tempero em pó e a linha de condimentos, juntos esses itens representam mais de 90% da produção de marca própria. “Dos nossos 36 clientes, 28 deles têm macarrão”, explica.

A terceirização representa atualmente na GSA 12% do faturamento da empresa. Em 2012, representava apenas 2%. Em 2020, o ramo de marcas próprias também cresceu e apresentou um acréscimo de 53% no faturamento em relação ao primeiro semestre de 2019. “O distanciamento social imposto pela pandemia impactou nas pessoas mais em casa e no aumento de consumo de alimentos e, em especial, de macarrão instantâneo”, explica.

 

Fonte: GSA

Você pode gostar

Deixar um comentário