Home Notícias Diferenciação nas Marcas Próprias

Diferenciação nas Marcas Próprias

por Redação Private Label
0 comentário
Por *MARCELO TORTAMANO

Hoje vamos falar um pouco sobre a importância na diferenciação como estratégia nas Marcas Próprias.

Conquistar a confiança e fidelizar clientes e consumidores, sempre esteve e estará entre os top objetivos das indústrias e também dos varejos.

Como já citei em outras publicações, construir uma marca consistente e relevante passa por várias etapas fundamentais, mas a meu ver a principal delas está em entregar diferenciação real.

O desafio da “promessa e entrega” de uma marca está inteiramente ligado a conseguir oferecer produtos e serviços que atendam as necessidades do mercado de forma diferenciada e própria, gerando a tão sonhada fidelização.

Como sabemos, uma das formas de se destacar no mercado é se diferenciando de alguma maneira da concorrência. É ter características e ofertas próprias que deixam sua marca registrada na escolha dos consumidores.

Infelizmente ainda vemos muitos casos no varejo de produtos de marca própria exatamente iguais uns aos outros, seja em formato, cor, fragrância, sabores e por aí vai. Tirando a marca e a identidade visual da embalagem, o restante é igual.

Dessa forma, como uma marca própria pode ser diferente da outra e o consumidor ter de fato essa percepção? Comunicar diferenciação e não entregar, não vale ok?!

Bem, isso ainda ocorre principalmente pelo fato das indústrias terceirizadoras precisarem otimizar custos e processos, e dessa forma padronizam as ofertas de seus produtos aos clientes varejistas. Outro fator é que ainda são poucas as indústrias no Brasil que tem qualidade e estrutura suficiente para fornecer marca própria e isso causa um acúmulo de projetos de diferentes redes na mesma indústria.

Por outro lado, o varejo na maioria das vezes coloca a falta de conhecimento, a pressa e o custo baixo em primeiro lugar, e assim não contribui em nada para que essas indústrias tenham condições de desenvolver produtos personalizados, inovadores e diferentes para cada cliente.

A tarefa de desenvolver um produto de marca própria deve ser encarada da mesma forma que em uma grande indústria, ou seja, jamais uma Unilever irá desenvolver um produto exatamente igual a Procter, concordam?

Sabemos as dificuldades que são encontradas: volumes não suficientes, pedido mínimo de embalagem muito grande, setup de máquina demorado e custoso, etc… mas trata-se de uma mudança de mind set!

Toda a cadeia, do fornecedor de insumos ao varejo, deve entender que se trata de um projeto de todos e não somente de quem demanda. Todos devem estar por dentro dos detalhes e compartilhar dos mesmos objetivos. O varejo apoiando a indústria com um target atingível. A indústria por sua vez provendo ao varejo o máximo de soluções possíveis para o concretizar o projeto.

Os obstáculos para o crescimento das marcas próprias no Brasil ainda são muitos, mas tenho certeza que um dos caminhos mais curtos é ampliar a oferta de produtos de forma diferenciada e com características próprias para cada marca e varejo. Dessa forma o consumidor passa a enxergar mais valor e colocar as Marcas Próprias no topo da lista de compras.

*MARCELO TORTAMANO – Consultor de negócios especializado em Marcas Próprias e Terceirização

 

Compartilhar

Você pode gostar

Deixar um comentário