Home Notícias Competitividade é vital

Competitividade é vital

por Redação Private Label
0 comentário

Competitividade é vital para a evolução das marcas próprias em beleza e cuidados pessoais

Um povo vaidoso por natureza é o que se pode concluir sobre os brasileiros quando se trata de beleza e cuidados pessoais. Dados do provedor de pesquisa de mercado Euromonitor International apontam que o Brasil tem o maior mercado de produtos de beleza e cuidados pessoais da América Latina e é, nesses segmentos, o quarto maior mercado do mundo, considerando nesse cálculo, cosméticos para cabelo e pele, perfumes e produtos para higiene bucal. O País fica atrás de Estados Unidos, China e Japão. Na categoria de fragrâncias, os brasileiros estão em segundo lugar e os primeiros são os americanos. O estudo, referente a 2018, demonstra que o mercado brasileiro de cosméticos, fragrâncias e produtos de higiene pessoal respondeu por quase 50% da receita do segmento na América Latina.

Nesse cenário, as marcas próprias ganham mercado. Enquanto o crescimento tradicionalmente emana de categorias básicas, como produtos para bebês, banho ou higiene bucal, a marca própria está agora se estendendo para categorias mais Premium, como cosméticos coloridos, cuidados com a pele e fragrâncias. Isso levou ao crescimento do segmento masstige, impulsionado pelas mídias sociais e seu posicionamento em torno do luxo acessível, que apela a grupos de consumidores multigeracionais, em busca de produtos que ofereçam um bom equilíbrio entre preço acessível e qualidade.

Essas novidades lançam luz às marcas privadas, abrindo oportunidades para garantir a confiança e o interesse do consumidor. Embora a disponibilidade de produtos de marca própria varie entre as categorias de beleza e cuidados pessoais, nos últimos anos a variedade de produtos evoluiu para direcionar e alimentar as demandas dos consumidores em constante mudança, para aproveitar as tendências da indústria.

 

Atenção na competitividade

 

As vantagens competitivas das marcas próprias para muitos consumidores ainda se baseiam em preço e a disponibilidade no varejo. Os produtos são mais em conta e acessíveis a muitos consumidores devido à alta disponibilidade em varejistas de autosserviço tradicionais como farmácias.

Especialistas em beleza como a Sephora têm marcas próprias há anos, mas continuam adaptando a gama de produtos para oferecer aos clientes as últimas novidades da indústria da beleza, como máscaras faciais, marcadores e modeladores de sobrancelhas, com preços e embalagens atraentes. Sua gama de produtos e ofertas permite que os consumidores misturem e combinem suas compras com outros produtos premium disponíveis em suas lojas.

Mais recentemente, players não tradicionais também entraram na marca própria. Os varejistas de roupas e calçados adotaram o potencial de possuir suas próprias linhas de produtos de beleza oferecendo itens que podem ser facilmente adicionados aos carrinhos dos consumidores como complementos enquanto fazem compras com design de embalagens atraentes, divertidas, simples e cada vez mais sofisticadas e inspiradas para atrair grupos de consumidores mais jovens, como a Geração Z.

Com a crescente demanda dos consumidores por segurança e transparência nos produtos, a indústria de marcas próprias teve que se adaptar para permanecer competitiva. Em cuidados pessoais, conveniência será cada vez mais procurada por consumidores que vivem estilos de vida agitados em ambientes urbanos, bem como a adaptação à demanda por produtos naturais também será essencial para atender à crescente procura no mercado por produtos orgânicos, outro segmento que vem crescendo significativamente no Brasil.

Cadastre-se no site e tenha maiores informações. CLIQUE AQUI

 

Compartilhar

Você pode gostar

Deixar um comentário